2 de abril de 2016

O blog está encerrando suas atividades

Olá

Desde o início de março estou fazendo terapia e venho descobrindo muitas coisas e desenterrando tantas outras também. Tem sido um trabalho de autoconhecimento constante, um processo doloroso e ao mesmo tempo libertador.

No início de abril eu havia decidido encerrar esse blog sem mexer em nada, simplesmente parar com as postagens, não mexer mais. E acabei adotando uma nova Luciana e admitindo pra mim mesma que eu havia me cansada da outra.

Porém uma coisa aconteceu, eu comecei a me lembrar de como eu era alegre e cheia de vida aos 12 anos e como fiquei triste e fechada após os 14 anos. Então eu resolvi ir fundo, eu sozinha aqui no meu quarto, coloquei pra fora numa folha de papel tudo o que me sufocava nesses mais de 20 anos, foi nessa época que eu comecei a fazer diários e foi esse um dos motivos desse blog existir.

Eu senti saudades da Luciana juvenil e resolvi que quero tê-la ao meu lado, quero que ela caminhe comigo de mãos dadas e possa ser feliz também. Vou cuidar dela como uma mãe cuida de uma filha que está crescendo e que precisa de orientação.

Baseado nisso, hoje (18/04/16) eu me sentei diante do computador e passei um pente fino em todas as minhas postagens, desde o início do blog e todas aquelas cheias de dor, magoas, culpa, rancor, ou seja todas que me machucavam só de olhar, eu deletei. Eu estou passando meu passado a limpo e só quero guardar aquilo que vai me fazer sorrir quando eu ler.

Isso não é uma fuga e sim uma forma de perdão a tudo aquilo que já doeu aqui dentro do meu peito. Eu não preciso guardar, eu sei que tudo aquilo aconteceu e eu só tenho que perdoar e deixar ir.

Eu estou feliz por estar salvando meu blog de memórias. Agora posso encerrar minhas histórias de uma maneira digna e dizer que me orgulho por ter superado. Ainda tenho muito trabalho pela frente, algumas pessoas para pedir desculpa e alguns buracos negros para desvendar, mas o mais importante é que eu estou me sentindo bem, eu sei que cada dia que passa vou melhorar mais.



11 de janeiro de 2016

Comercial? Não, não mude de canal, por favor!!!

Já foi o tempo que se via comerciais na TV super criativos, emocionantes ou engraçados. Ainda tem um ou outro que pode até ser interessante, mas acho que o pessoal perdeu um pouco o jeito de fazer propaganda com humor.

Muitos comerciais da minha infância e adolescência são bons porque tinham uma coisa muito particular que realmente me faz lembrar de uma época da minha vida ou porque eram engraçados mesmo.

Eu fiz uma seleção dos que mais me marcaram, vou explicar porquê:

COBERTORES PARAHYBA - é da década de 60, mas nos anos 80 tinha um colorido (eu acho), me lembro bem da musiquinha, minha mãe deixava a gente assistir e depois ir direto pra cama, sempre passava à noite. E claro, eu ainda tenho um!!!


ETAPA - Meu Deus, como eu tinha medo! Eu não entendia nada, aquele homem prateado pelado correndo até o alto de uma montanha, aquela música de E.T., até hoje sinto arrepios! Os piores vão de 1:30 a 2:00.


MELAGRIÃO - Pra uma pessoa que vivia doente esse comercial é quase uma homenagem. Vamos tossir e tomar Xarope Melagrião, do Laboratório Catarinense. E aí, quem vai me pagar pela propaganda???



D. D. DRIN - Esse comercial dispensa qualquer tipo de comentário. Recentemente ele foi remasterizada e continuava sendo veiculado na Band, incrível!!!


BOMBRIL - Eu choro de rir até hoje quando eu vejo esse do He-Man, é o melhor! A peruca torta é demais!!! Salve Carlos Moreno!!!


SKOL - Me lembro que quando começou a passar na TV eu só faltava mijar nas calças quando o cachorro começava a dar giros no ar... Divertido!



PHILCO - Esse é da mesma época (colegial), várias propagandas exploraram bastante o humor e deu certo, viu?




VARIG - Não dá pra acreditar que a Varig não existe mais, né? Tem comerciais bem bacanas, esse é muito bom! Quem nunca cantou essa música que atire a primeira pedra: 550 quilômetros, everybody!!!




RUFFLES - Admito que nessa época eu amava essa batata, nossa!!! Comia, lambia os dedos e depois queria mais e mais... Me dá a batataaaa!!!



BAVARIA - Eu não bebo cerveja, mas a mensagem dessa propaganda é tão verdadeira fazendo uma comparação à amizade e utilizando as três duplas sertanejas/românticas em evidência naquele ano, que marcou. Sem falar a presença de Leandro que faleceu algum tempo depois... Um clássico!



HAVAIANAS - Sempre tiveram bons comerciais, com sacadas, artistas e um toque de inteligência, é por isso que elas são as sandálias mais amadas do Brasil e conseguiu resistir ao tempo, não é pra qualquer um, não!!!



BOM NEGÓCIO - Agora é OLX, mas fez uma série de comerciais hilários com artistas decadentes e outros bem conhecidos, se eles queriam chamar a atenção, conseguiram. Tiririca sensacional!



Pra encerrar, eu vou tirar essa do fundo do baú. Esse comercial eu não tenho memória, ele é de 1981, eu tinha entre 1 e 2 anos de idade. Minha mãe conta que eu ficava cantando a musiquinha do comercial o dia todo e minha irmã ficava brava, irritada, pedia pra eu parar e eu cantava, cantava, cantava... Imagina a cena!

YAMAHA - Procurei esse comercial por anos e finalmente alguém postou, até que enfim pude conhecer a tal musiquinha... Yamaha, Yamaha... HAHAHA!!!


Obrigada Magrão tk por essa raridade!!!

25 de dezembro de 2015

Já parou para pensar por que o diferente é tão atraente?

Há um tempo vi uns clipes da banda Eurythmics e me deparei com a figura peculiar de Dave Stewart. Algo nele é muito enigmático, chamativo, atraente. Não sei se são os olhos, a barda, o cabelo, os brincos, os anéis, só sei que loiro, moreno, cabelo curto ou longo, com ou sem óculos, o cara transborda sensualidade, meu Deus!

Dave Stewart loiro... ai!

Dave Stewart moreno... ai ai!!!

Adoro esse clipe!

E quando a gente não consegue entender se a pessoa é homem ou mulher? Nos anos 80, o termo andrógino deve ter confundido muita gente. Segundo a Wikipédia, androginia refere-se a dois conceitos, é uma mistura do feminino e do masculino e não é uma coisa nem outra.

Um dos maiores representantes é o Boy George, vocalista do Culture Club, que até hoje chama bastante atenção com seu estilo extravagante sempre cheio de cores, plumas, laços, muita maquiagem. Um arco-íris em forma de gente, algo bonito de ser ver...

Boy George... é menino ou menina?
Às vezes uma pessoa é atraente não porque ela é bonita, mas porque ela é simpática, animada, enfim tem um tempero a mais. É uma química que rola e que não dá pra descrever, podem dizer o que quiser, mas os gays ganham de dez a zero quando o assunto é elegância, com eles não tem tempo ruim, se precisar eles se vestem de mulher, rebolam, desmunhecam e tudo sem descer do salto.  Coragem caminha lado a lado com eles, eu admiro isso!

Uma vez, um colega de trabalho (ele era gay) foi se despedir de mim por estar saindo da Empresa, ele me deu um abraço e foi o abraço mais doce, fofo e confortável que já recebi em meus 36 anos de vida. Nossa, eles são capazes de te fazer rir, chorar e instantaneamente você irá amá-los com todas as forças do seu coração!

O Erasure vai representar a categoria, mas vale lembrar que:
Vince Clark é hetero, casado e tudo, agora Andy Bell (vocalista) é gay dos pés a cabeça.

E tem aquelas pessoas que de tão sensuais você pensa: é gay ou é hetero? Pode acreditar, muitos são sim heterossexuais mesmo com toda pompa, com toda a exuberância. Homens muito bem casados e com filhos, enfim pai de família. 

Esse moço de mais de 50 anos é casado, pai e desde os anos 80 mexe com a mulherada (com os homens também, talvez) e aja fôlego. Dave Grahan, vocalista do Depeche Mode, é uma coisa no palco e nos vídeos da banda sempre esbanja carisma, esse cara é demais. Martin Gore, da banda também, é um tipo bem exótico e o cara é hetero com todas as letras. 

Sacanagem viu? Para de rebolar, por favor!
E por fim Morrissey, ele declara-se assexual, mas em sua biografia lançada em 2013 assume que teve um relacionamento com um homem por dois anos e também já se relacionou com algumas mulheres, mas sem muito entusiasmo. Ele diz ser um humassexual que sente atração por humanos, mas nem todos claro. Interessante!

Morrissey forever!!!
Só sei de uma coisa: amo Morrissey. Sua figura me cativa, ele é um sorvete de flocos com pedacinhos grandes de chocolate e muita calda em cima. Morrissey é a coisa mais atraente e encantadora que existe na face da terra.



Enfim, essa postagem é sobre pessoas que dentro de suas vaidades chegam a derramar seu mel por onde passam, é como se holofotes se acendessem quando eles chegam. Sabe quando a gente se encanta por alguém e não sabe bem explicar, aí só pode ser sacanagem do cupido ou simplesmente atração pelo diferente. E isso é tão excitante!!!

Feliz Aniversário Annie Lennox que também é uma figura encantadora e talentosa!!!

24 de dezembro de 2015

Selfies, quem nunca fez uma... várias!?! HE HE HE!!!

Teve uma época que eu amava fotografia, passava horas organizando as fotos nos álbuns e era tão gostoso fazer isso. De um tempo pra cá percebi o peso de uma fotografia, ela nada mais é que a história documentada de um dia vivido que não volta mais. Olha só que coisa louca!!!

De um tempo pra cá, com a evolução dos celulares e com a propagação da internet, as pessoas adquiriram o hábito de tirar selfies, que nada mais é que tirar foto de si mesmo para ilustrar um momento mesmo que de forma banal.

As câmeras digitais ajudam muito porque as câmeras antigas, devido o foco, era impossível fazer isso com perfeição.

Eu tenho umas fotos bem legais, mesmo não sendo mais tão fã de fotografias. Às vezes estou inspirada e consigo fazer umas bem bacanas. Então em homenagem a elas fiz uma seleção das minhas melhores selfies, relembrando que todas foram tiradas com uma câmera digital e não um celular (ainda tenho muito que evoluir, viu?).


21.09.12 - o que será que eu estava pensando nessa hora???

17.08.13 - quem usa óculos e não é estrábico que atire a primeira pedra!

08.09.12 - dentro do ônibus voltando de Pinheiros

19.09.12 - Ah o mar!!! Acorda mãe!!!

22.11.14 - alguém sempre sai pela metade...

01.01.14 - fazer uma selfie e fingir que não está sendo fotografado, essa é boa!

20.12.14 - oh coisinha mais fofa da mamãe!

20.12.14 - mostrando a linguinha... Super Aninha!

27.09.14 - Jesus Cristo!!!

21.04.14 - uma homenagem a Robert Smith

20.12.14 - pela janela do meu quarto surge uma silhueta...

18.10.15 - adoro esses registros do meu cabelo doido!

18.06.14 - sob influência de Amélie Poulain

17.06.13 - não tenho medo das minhas marcas de expressão...

23.11.13 - esmalte verde, blusa azul, óculos lilás...
Essa é a Luciana, que beleza!

05.03.13 - foi difícil escolher, é uma sequência de fotos ilária!

04.03.13 - Simplesmente gosto!

06.12.15 - ida à Aparecida, a Basílica ao fundo

31.12.12 - maquiagem legal com efeito espelho de fundo





O céu está mais culto a cada ano...

Pessoas que fizeram a diferença no Brasil e lá fora deixaram esse plano nesse ano de 2015. Eu não me lembro de um ano tão devastador, com tantas partidas...

Eu costumo dizer que um artista deveria ser eterno, nunca morrer, porém de alguma forma eles tornam-se eternos, o legado que eles deixam prevalece para sempre.

Selecionei alguns deles. É triste admitir, mas nossos artistas estão envelhecendo e é duro vê-los partir, o consolo é saber que todos estão num lugar muito melhor. 

Marília Pera

B.B. King

Yoná Magalhães

Inezita Barroso

Antônio Abujamra

Lemmy Kilmister
Atualizado em 29/12/15. Hoje terá um show de heavy metal lá no céu, com certeza!!!


David Bowie

Paz aonde quer que vocês estejam...

José Rico



9 de agosto de 2015

Vai com Deus, Dona Márcia!

No início desta semana tive a notícia do falecimento de Dona Márcia. Trabalhamos juntas na Livraria Saraiva no setor infantil. Eu costumava dizer que Dona Márcia era uma das pilastras da Saraiva devido o seu longo tempo de permanência na Empresa.

*Ela me contou essa história...
Desde o início não foi fácil trabalhar com ela. Me lembro que quando fiquei sabendo que iria ficar fixa no setor infantil algumas pessoas da loja me deram os pêsamos pelo fato de eu ter que ir trabalhar com ela. Realmente não foi fácil e admito que não aguentei por muito tempo.

*A queridinha da Brinque Book
Eu fiquei pensando nela, nas coisas que eu vivenciei naquele setor, me lembrei de muitas coisas, muitas coisas mesmo e principalmente no fato de apesar de tudo eu não sentir raiva dela, pelo contrário, o que eu sinto é um sentimento de gratidão porque eu amadureci muito convivendo com ela.

* Capa dura, imponente...
Ao me desligar da Saraiva, eu não consegui me despedir dela. Houve três desencontros e simplesmente eu não me despedi... 

*Estranhas e amadas pelas garotas
Eu queria muito ter ido em seu enterro, mas ela foi enterrada em Embu das Artes e pra mim é muito distante, eu teria que trabalhar no mesmo dia e não fiquei sabendo de ninguém que poderia me oferecer uma carona nem de nenhum esquema organizado pela loja. Fiz minhas orações em casa e do fundo do meu coração desejei uma ótima passagem para ela e claro, agradeci por tudo.

A preferida em 2012
Ela foi enterrada no Cemitério Memorial Parque Paulista às 10:00 horas do dia 05 de Agosto de 2015, num belo dia de sol. Sua partida só serviu para eu sentir mais vontade em lutar por aquilo que eu ainda acredito: os livros. E de uma maneira incrível, sua partida me transmitiu uma imensa paz, espero que ela me perdoe por qualquer coisa que eu tenha feito.

Campeão de vendas 
Baseado no livro "As cinco pessoas que você encontra no céu", eu tenho certeza que quando chegar a minha hora, Dona Márcia estará lá me esperando e vai poder me explicar porquê deixei o emprego que eu mais amava para trás...

Ela entendia muito bem essas princesas...
Vai com Deus, Dona Márcia!!! Obrigada por tudo!!!

*esses livros e personagens me fazem lembrar muito Dona Márcia.
Essa postagem foi digitada com fonte amarela em homenagem ao avental amarelo do setor infantil que tanto Dona Márcia e eu usamos para trabalhar lá...


28 de junho de 2015

Não sei se caso ou se compro uma bicicleta...

Bem, eu decidi comprar uma bicicleta, tudo porque eu aprendi a andar de bicicleta (finalmente) por meio da ajuda dos Bike Anjo. Eu vinha tentando ser sorteada desde Janeiro, até que no final de Maio fui contemplada.


Num domingo frio, cinza e garoando lá fui eu rumo à Avenida Paulista, na praça dos Arcos aprender a andar de bicicleta. Meu Bike Anjo foi o Pedro, juntos fizemos os exercícios para ganhar equilíbrio e em pouco tempo eu já ensaiava minhas primeiras pedaladas, meio desengonçadas claro, mas o pontapé inicial havia sido dado. 

No dia 31/05/15 eu aprendi a andar de bicicleta. Uhuuu!!!
Depois disso fiquei bem empolgada e louca pra comprar uma bicicleta só pra mim. Eu preferi uma usada pra não chamar muita atenção já que o intuito é andar primeiramente aqui pelo bairro. Cheguei a ver alguns anúncios pelo site OLX, mas acabei comprando minha bike seminova na feira do rolo aqui perto de casa (Jesus me perdoe). Ah, eu queria uma bicicleta e o cara queria vender, unimos o útil ao agradável né?!? Sim.

Semana passada, depois de fazer minhas obrigações dos domingos, lá fui eu andar de bicicleta, com a minha bicicleta. De cara não foi fácil, mas eu consegui adquirir o equilíbrio e ter confiança, cheguei cair duas vezes, mas não me machuquei.

Comprei minha bike no dia 14/06/15
Eu estou feliz por ter aprendido e por ter comprado a bicicleta. Isso vai me ajudar muito a manter a cabeça ocupada nas minha folgas e também tem o lance de eu ter tido a coragem de correr atrás do tempo perdido, pode parecer besteira, mas isso tudo mexe com a auto-estima. O incentivo na infância é importante para a criança obter autonomia, confiança e outras coisas, eu não tive essa oportunidade, mas estou muito feliz por ter feito isso agora por mim.


Nunca é tarde para aprender algo novo...


16 de abril de 2015

Ahhhh, o Centro... Como gosto do Centro da cidade!!!

Um dos lugares de São Paulo que eu mais gosto é o Centro da cidade. Meu primeiro emprego com carteira assinada foi na Rua Líbero Badaró nº 293 - 7º Andar (Edifício Conde Prates) esquina com o Viaduto do Chá.

Edifício Conde Prates
A Empresa chamava-se ADP Clearing do Brasil e era uma central de processamento de informações de bilhetes aéreos. Todos os bilhetes aéreos vendidos em território nacional iam pra lá e as informações eram processadas num sistema simples de computador.

Lá era tipo uma central de telemarketing, mas sem telefones e chamadas, apenas computadores e muitas operadores digitando sem parar. O serviço era muito simples, mas exigia muita atenção, não podia haver erros na digitação nem no arquivamento dos bilhetes, tipo uma companhia aérea ser arquivada em outra (falha grave).

Bilhete automático
Bilhete manual (era parecido com esse)
Trabalhei lá por dois anos e costumo dizer que foi lá que eu aprendi a ser gente. Trabalhar no Centro foi um passo grande na minha vida, tive contato com pessoas de todas as regiões de São Paulo incluindo Grande São Paulo. Sem falar o fato de estar bem no meio do olho do furacão (Viaduto do Chá de um lado, Viaduto Santa Efigênia do outro, Rua São Bento e Direita logo ali, Teatro Municipal, Vale e Túnel do Anhangabaú e aí vai).

Foi meu primeiro contato com a Galeria do Rock, eu fui na inauguração do Shopping Light, eu vi a decadência do Mappin, aprendi os atalhos pelos calçadões para chegar até o Banco (Rua da Quitanda e XV de Novembro), o Sebo no Largo São Francisco (comprei vários discos lá), muito legal!

Mappin venha correndo, Mappin!!! (fechou em 1999)
Diante de tudo isso, às vezes até me esqueço que acordava às 3:30 da madrugada, saía às 4:15 e entrava às 6:00, eu vivia com sono. Uma vez, voltando pra casa, adormeci no ombro de um rapaz, quando despertei fiquei com tanta vergonha que nem conseguia olhar pra ele. Mas foi uma época boa!

Curiosidades sobre a ADP:

  • às vezes recebíamos bilhetes de pessoas famosas, uma vez alguém viu o bilhete da Xuxa, ele passou de mão em mão, menos na minha;
  • cheguei a tirar xerox de um bilhete da Cássia Eller e outro do Jimmy Page;
  • o almoço do pessoal do turno da manhã era às 9:30;
  • as mesas eram de madeira, uma do lado da outra, ocupando duas salas, em cima delas tinha um tipo de estante com várias casinhas, chamadas de casilheiros;
  • os mais diversos tipos de garotas passaram por lá: altas, gordas, feias, fofoqueiras, profissionais, baderneiras, crentes, esculhambadas, santas e mães (o legal é que eles contratavam pela capacidade e não pela aparência);
  • em 2000 teve um boom de meninas grávidas, vários bebês nasceram naquele ano;
  • cada companhia aérea tinha um número: Varig 042, Transbrasil 653, Tam 977, Rio Sul 293, Vasp 343 (essas eram as mais populares, a Gol e a Azul ainda não existiam);
  • os bilhetes eram arquivados em caixas que pareciam muito com caixas de sapato;
  • cada menina tinha um nº de usuário e éramos chamadas pelo nº de operadora, o meu era 894.
Às vezes o sol vinha nos visitar em nossas mesas...
É, o Centro me encanta, gosto muito de circular por lá mesmo com toda aquela gente estranha vagando. E amanhã, lá vou eu me aventurar por aquelas ruas estreitas e cheias de gente. Não me importo porque o Centro sempre será um lugar especial em meu coração.

Lucimara, Célia, Beth, Regi e Janice... Velhos tempos!!

11 de fevereiro de 2015

"Queria ver você aqui no meu lugar, eu ia rir de me acabar..."

Talvez o que eu mais gosto de ser eu, a Luciana, seja o fato de mesmo as coisas não saírem do jeito como eu imagino, eu acabo me divertindo e aprendo alguma coisa.

O primeiro passo foi dado...
Bem, semana passada eu iniciei num emprego inusitado, eu fui trabalhar como Auxiliar de Limpeza em um famoso Hotel aqui de São Paulo. Eu nunca tinha trabalhado diretamente com faxina, mas já tinha feito algo parecido nas drogarias que eu trabalhei, então qual o problema de aceitar um emprego nesse ramo?

Limpeza não é motivo de vergonha!
Diante das dificuldades em conseguir um emprego que não me remetesse ao meu passado profissional fracassado, eu achei interessante fazer algo diferente e eu não tenho preconceito algum em relação a isso, respeito muito os profissionais desse ramo.

Com um bonito vestido cinza e avental preto, lá fui eu me aventurar pelos corredores do Hotel. Limpeza das áreas comuns, algo simples, segundo me disseram. Banheiros, salas de eventos e reuniões, corredores, restaurante, recepção e outros pontos que não tive a oportunidade de passar. Enfim, manter a ordem e a limpeza.

O vestido veste bem, apesar de ser quente!
Durante o trabalho, limpei vários banheiros e pude perceber que tem muitas mulheres porcas, elas simplesmente não valorizam o trabalho do pessoal da limpeza. Homens são mais comportados, mas mijam fora do mictório, que puxa!

É um serviço simples, mas é puxado porque é constante e exige muito fôlego. Passei aspirador em várias salas e corredores, fazer isso não é fácil. Ufa!!!

Queria ver algumas pessoas no meu lugar, tá bom!!!
A minha maior curiosidade era em relação ao uso do uniforme (eu ficaria invisível?!?), eu não cheguei a me sentir invisível, porém percebi que quem usa uniforme é sim "deixado em paz".

Só que eu não pude ficar com o trabalho devido o horário que eu estava chegando em casa (por volta das 00:40), não achei justo ver minha mãe no ponto de ônibus me esperando (ela já fez isso tantas vezes, não quero mais vê-la fazendo isso). Eu pensei que fosse chegar mais cedo, mas depois das 23:00 o ônibus demora e querendo ou não, estou no extremo da zona sul, né? É longe mesmo!!!

Tudo o que eu posso dizer é que agora mais que nunca, valorizo o trabalho de quem faz faxina, limpeza e afins. Não é um serviço fácil e não entendo porquê é tão desvalorizado, é um serviço braçal que exige muito da pessoa... Eu poderia ficar horas argumentando, só que eu entraria em um lance de discriminação que eu realmente acho desgastante diante de tudo o que o serviço de faxina simboliza. Eu só posso dizer uma coisa: são profissionais incríveis, exigentes e que eu admiro muito. 

Vocês são realmente incríveis.
Esses poucos dias me serviram pra muita coisa, principalmente para pensar que eu sou capaz de tudo, de realizar o que eu quiser. Estou orgulhosa de mim e de não ter medo de experimentar coisas inusitadas. Não acho que me rebaixei aceitando esse emprego (algumas pessoas talvez tenham tido esse pensamento mesquinho), eu apenas quis seguir em frente encarando a realidade. E na boa, eu não tenho que provar nada pra ninguém, eu não devo nada pra ninguém...